target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Sangue no inverno - Mons Kallentoft

>>  sexta-feira, 25 de maio de 2012


KALLENTOFT, Mons. Sangue no inverno. São Paulo: Editora Saraiva, 2011. 504p. (Malin Fors, v.1). Título original: Midvinterblod.

“De certa forma é até agradável ficar pendurado aqui em cima.
A visão é esplêndida, e meu corpo congelado balança, agradavelmente, ao sabor do vento. Posso deixar os pensamentos vaguearem como quiserem. Existe uma calma aqui que nunca vivi antes e nem sequer pensava que existisse.” p.30

Para mim os autores suecos são brilhantes e loucos, não exatamente na mesma medida. A trilogia Millennium é a queridinha dos fãs do gênero, e por aqui foi lançado também O hipnotista os dois de grande sucesso; eu não diria que os três têm o mesmo estilo, mas são todos ótimos livros de ficção policial e algumas características das narrativas são semelhantes. Hoje conheçam Sangue no inverno de Mons Kallentoft.

Linköping no sul da Suécia vive um inverno congelante, a temperatura de 31º negativos mantém a maioria da população dentro de casa na maior parte do tempo. Mas no meio da neve, pendurado em uma grande árvore, um corpo balança ao vento. Algumas partes do corpo congelaram e caíram, o rosto não pode ser identificado visualmente, tudo que sabem é que o homem é muito gordo e foi assassinado de forma horrenda.

Antigos rituais vikings são estudados pelos policiais, sacrifícios animais e humanos em troca de felicidade e bem-estar. Mas para a detetive Malin Fors, 33 anos, o motivo é outro; ela começa a investigar e sente que uma voz a acompanha. Malin irá se dedicar de corpo e alma ao caso, desvendando a historia passada de vários habitantes da cidade.

Zacharias “Zeke” Martinsson, parceiro de Malin, pensa no grande problema que eles precisam desvendar, olha para o corpo cansado de sua parceira, aparentemente de ressaca. Malin pensa que Zeke não aguenta mais falar do sucesso esportivo do do filho e não consegue parar de pensar em Tove, sua filha, provavelmente ainda debaixo do cobertor.

A vítima é Bengt Anderson, mais conhecido como Gandula, um homem solitário e que viveu à margem da sociedade, vítima dos trotes das crianças do bairro e agora morto. Malin segue diversas pistas, todas ligadas ao passado de Bengt, tentando descobrir quem ele era.

Porém quando começa a remexer no passado da cidade, Malin trás de volta segredos há muito escondidos e pode pagar um preço por isto.

~~~~~

Para começar preciso contar para vocês que esta foi uma das 6 resenhas que eu perdi quando meu note estragou, não consegui recuperar nada do HD. Fiquei a semana toda meio triste e meio brava por isto, ainda não consegui retomar o ritmo normal do blog. E sei que este texto não ficou nem de perto tão bom quanto o primeiro, não lembro dos mesmos detalhes, não tenho as mesmas sensações de quando terminei a leitura. E fora que reescrever resenha é um martírio. L

Mas, vamos lá, eu adorei o estilo do autor, inteligente e mais complexo do que os policiais que costumamos ler. Mons alterna a narrativa entre seus personagens o tempo todo, tanto que algumas vezes no início eu tive um pouco de dificuldade para assimilar tudo e pegar o ritmo da leitura. Depois adorei o enredo e os personagens.

Aqui até o morto tem fala, é estranho, mas acompanhamos o pensamento do morto lá pendurado na árvore, depois no necrotério e seguindo vários passos da investigação, deixando seus pensamentos e comentários. No começo achei muito sem noção, no final adorei rs.

Malin é uma das melhores detetives que já conheci, a personagem é extremamente real e cheia de problemas. Vive alcoolizada, tenta ter um relacionamento aberto com a filha e compensar sua constante ausência por causa do trabalho, e ainda não esqueceu o ex-marido. Rola ainda um caso com o repórter local, tudo muito sexual e pouco sentimental.

Ficamos conhecendo bem cada um dos personagens, os policiais, os suspeitos, ninguém aqui é deixado de lado, personagens coadjuvantes que têm uma mera passagem na história também têm voz.

Linköping - Suécia
O livro é o primeiro volume de uma série policial, parabéns a Editora Saraiva por lançar a série na ordem correta, é uma pena que nem todas as Editoras façam isto. Estou ansiosa pelo segundo volume, a narrativa do autor me conquistou. É um thriller mais psicológico, eu esperava um serial killer e uma série de crimes, e encontrei foi um crime horrendo e muitos desdobramentos sobre o ocorrido.

Acredito que o Stieg Larsson (queria mais 10 livros dele) e o tremendo sucesso da Trilogia Millennium abriu as portas para que outros Suecos emplaquem por aqui e em outros países. Que venham mais livros. =]

Falando no autor, eu adorei sua narrativa maluca, detalhista e tão humana. Senti na pele o frio da Suécia, visualizei as ruas pequenas cobertas de neve e me envolvi na vida da protagonista. Eu queria poder dar uns conselhos para sua mente perturbada, ou falar “liga logo para o seu ex, mas tenha uma conversa decente”. Este só lendo para saber, para quem gosta de policiais eu super indico. Leiam!

Série Malin Fors de Mons Kallentoft
  1. Sangue no inverno (Midvinterblod)
  2. Sangue no verão (Sommardöden)
  3. Sangue no outono (Höstoffer)
  4. Sangue na primavera (Vårlik)
  5. Den femte årstiden (Os demais ainda não lançados no Brasil).
  6. Vattenänglar
  7. Vindsjälar
  8. Jordstorm.

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO