target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Profundezas - Tricia Rayburn

>>  quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

RAYBURN, Tricia. Profundezas. São Paulo: Editora Verus, 2012. 336p. (Sereia, v.3). Título original: Dark Water.

“Enquanto bebia percebi que algo estava muito errado – a água salgada não estava funcionando. Os pontinhos brancos que surgiam em minha visão desapareciam a cada gole, mas, no instante em que a água alcançava minha garganta, eles reapareciam. Quanto mais eu bebia, mais se multiplicavam e mais rápido se moviam. Logo minha cabeça se juntou a  eles, girando tão rapidamente que eu não conseguia pensar direito.” p.211

Sereias são seres mitológicos repletos de encanto, a lenda mais conhecida fala das mulheres belíssimas que cantam no mar, que atraem os homens com suas vozes e os matam afogados. Outras falam da sereia que se apaixonou por um mortal, e que traiu seu mundo em troca de pernas. A mitologia desenvolvida pela americana Tricia Rayburn é mais sombria, repleta de mistérios, assassinatos e muito encanto. Hoje vou contar para vocês o que achei do final da trilogia com Profundezas.

A historia de Sereia se passa em Winter Harbor, onde as irmãs Vanessa e Justine Sanders junto com os amigos, os também irmãos, Caleb e Simon passavam todos os verões. O livro já começa com uma tragédia, Justine pula de um penhasco para nadar e acaba morrendo afogada. Enquanto todos acreditam ser um acidente, Vanessa sabe que algo terrível aconteceu naquela noite. Caleb, namorado de Justine, está desaparecido e Simon junta-se a ela nesta busca. Eles descobrem que Justine foi apenas uma das vítimas, homens começam a morrer afogados naquelas águas. Sem pistas, envolta em pesadelos e ouvindo a voz da irmã morta, Vanessa não sabe o que fazer. Até que descobre a verdade e sua vida muda completamente.

Em Encanto Vanessa já sabe que sua mãe biológica era uma sereia, e que portanto, ela também o era, um segredo guardado de todos. Ela tem novas necessidades, seu corpo está se transformando e teme perder o amor de Simon. Vanessa agora mora em Boston, e tem Paige – sua amiga sereia – ao seu lado. Apesar de amar Simon, Vanessa se aproxima de Parker, um amigo da escola. Sente-se assustada com suas novas necessidades e tem medo de perder Simon, as coisas pioram quando coisas estranhas voltam a acontecer.

A partir daqui contém spoilers se você não leu os dois livros anteriores.

Vanessa Sanders tenta levar uma vida normal com a ajuda dos pais. Apesar da sua constante fraqueza, da necessidade diária de um longo mergulho no mar e dos litros de água salgada que bebe durante o dia. É verão, e Vanessa volta a Winter Harbor, onde os pais compram uma nova casa, proporcionando a filha tudo o que seu corpo precisa. Mas Vanessa está cada vez mais fraca, toda a água salgada parece não fazer mais efeito e ela não sabe o que fazer. E Simon também está na cidade, a proximidade com o ex namorado deixa os sentimentos de Vanessa cada vez mais confusos.

Ela volta a ajudar Paige no restaurante, tenta ficar bem, mas coisas estranhas voltam  a acontecer. Uma moça é assassinada, elas começam a investigar com a ajuda de Simon e Caleb, mas nada parece fazer sentido.

Vanessa ama Simon, e tudo o que ela queria era tê-lo de volta. Mas como fazer com que ele entenda as suas necessidades de sereia? Como pode ficar com ele, quando sabe que só trará mais e mais problemas para o frágil relacionamento. Ela precisa satisfazer seus desejos de sereia, isso significa seduzir homens. Quando tudo parece desmoronar, resta a Vanessa decidir como irá viver o resto de sua vida.

~~~~~

Decepcionante. A trilogia para mim só decaiu, eu amei o primeiro livro, não gostei tanto do segundo e achei a conclusão muito fraca. Nem a escrita fluida e rápida da autora, ou o ar misterioso que eu tanto gosto, conseguiu salvar o enredo fraco e com personagens confusos.  Tive a impressão que nada acontecia, a não ser reflexos dos livros anteriores.

Vanessa continua agindo como uma idiota, escondendo todos os problemas de todo mundo, fingindo que nada está acontecendo, e jogando tudo para debaixo do tapete na tentativa de viver uma vida normal. Ela não pesca nada, as coisas acontecem debaixo do seu nariz e ela prefere não pensar muito no assunto. Por exemplo, tem uma garçonete nova no restaurante que serve a ela um café cheio de sal. Pessoas normais investigariam, colocariam a moça na parede ou pelo menos contaria aos amigos. Ela pensa no assunto e deixa para lá em vários momentos, preferindo ignorar que a garçonete não poderia saber disso. Simon tenta ajudar, Vanessa não conta nada e deixa-o no escuro, para não interromper os beijos e os poucos momentos em que podem ficar juntos aff.
“A voz dele estava tão triste que concordei, mesmo sabendo que iria continuar editando os acontecimentos conforme necessário. Se nós dois queríamos a mesma coisa, o que importava a forma pela qual um de nós ajudava a fazer com que ela acontecesse?” p. 182
O enredo não evolui, primeiro temos a protagonista reclamando das mesmas coisas e relembrando excessivamente dos livros anteriores (eu não ligo se o autor insere um pequeno feedback do que já aconteceu, mas quando contam demais dá a impressão que o leitor não leu os outros dois, o que não faz sentido em um final de trilogia). Depois temos uma série de crimes que parecem uma cópia do primeiro livro, só que quem morre são mulheres. E eles não desconfiam de nada, agem como se tudo estivesse bem. A polícia parece que nem existe na cidade, como nos dois outros livros. O tão esperado romance de Simon e Vanessa teve destaque insuficiente e cenas mornas, esperava bem mais do casal porque amei Simon nos livros anteriores.

Apesar de tudo isso, a leitura foi rápida e agradável, eu gosto da forma que a autora escreve. E eu nem achei nada tão horrível assim, mas aí teve o final. A pequena “batalha” que ocorre é tão sem sentido e mal contada que não acreditei em nada do que lia. Tive a impressão que a autora não sabia como terminar o livro e optou por simplificar.

Não me arrependo de ter lido, adoro o universo das sereias. E a forma como ela aborda a mitologia, sereias que precisam seduzir homens e matá-los para sobreviver, é muito legal. Mas, no geral, o livro não atingiu as expectativas para ser um desfecho de trilogia, o enredo fraco e os personagens mal desenvolvidos me decepcionaram.

Trilogia Sereia de Tricia Rayburn
  1. Sereia (Siren)
  2. Encanto (Undercurrent).
  3. Profundezas (Dark Water)

Avaliação (1 a 5): 
Comentou? Preencha o formulário diariamente e participe do Top Comentarista de Fevereiro.

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO