target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Prelúdio para a morte - Val McDermid

>>  quarta-feira, 10 de setembro de 2014

MCDERMID, Val. Prelúdio para a morte. Rio de Janeiro: Editora Bertrand, 2009. 434p. Título original: The grave tatoo.

“Todas as paisagens guardam seus próprios segredos. Por trás de uma sobreposição de camadas, ele espreita, aguardando que o homem ou um acidente meteorológico puxe, com força, o esqueleto, rompendo a carne, de volta ao presente. Assim como os pobres, o passado está sempre entre nós.” p.11

Depois de ler O canto das sereias me apaixonei pela autora, e resolvi ler todos os livros dela já lançados. Em seguida veio Sombras de um crime, ambos focam na busca por um serial killer assustador. O livro de hoje está mais focado nos acontecimentos históricos do que na parte policial, além de ter um estilo bem diferente. Hoje conto para vocês o que achei de Prelúdio para a morte da Val McDermid.

Lake District, a Região dos Lagos inglesa, é o lar de famílias que vivem lá há gerações, e embora ultimamente os turistas tenham invadido o lugar, ainda é um local de tradições milenares e antigas histórias transmitidas oralmente para as gerações futuras. Um antiga lenda local ainda é de conhecimento de todos, os habitantes acreditavam que Fletcher Christian, que ficou conhecido por liderar o Motim da Bounty enquanto servia como imediato ao capitão William Bligh, havia forjado o massacre na Ilha Pitcain, e regressado com vida à Inglaterra. Lá ele contara a verdadeira história para um grande amigo, o poeta William Wordsworth, que o transformou em um grande poema épico. O manuscrito permanecera escondido por séculos, para garantir a liberdade do fugitivo e a idoneidade da família, já que seu crime seria punido com a forca.

Jane Gresham, 25 anos, é uma especialista no trabalho de Wordsworth, e nascida em Lake District sempre acreditou que aquela história poderia ser verdadeira. Encontrar o manuscrito perdido há séculos garantiria um grande passo em sua carreira, ela poderia ser tornar uma pesquisadora renomada. Enquanto isso não passa de um sonho, Jane se redobra para se manter em Londres, dando aulas e trabalhando em um bar para se  sustentar, enquanto tenta terminar um livro sobre o poeta. Ela já se acostumou com o contraste da fazenda dos pais com seu pequeno apartamento, atualmente Jane vive em Marshpool Farm Estate, um aglomerado de pequenos apartamentos com uma vizinhança duvidosa. Apesar dos pesares, Jane fez amizade com uma menina de 13 anos, Tenille. A menina amava poesia e Jane a incentiva, ela teria pouca chance morando naquele lugar, matando aula, mas Jane acreditava em seu potencial.

Quando um corpo misterioso é retirado do pântano em sua cidade natal, contendo tatuagens usadas pelos marinheiros no passado, Jane acredita que sua hora tenha chegado. Ela pretende voltar a casa dos pais e pesquisar sobre o manuscrito, acreditando que ele ainda possa ser recuperado. Porém, o que seria uma simples pesquisa histórica se torna algo mais assustador, quando pessoas começam a ser assassinadas.

~~~~~~~~

Eu ainda não sei como falar sobre o livro sem passar uma impressão errada, é uma leitura que espero ter a oportunidade de reler algum dia, com outras expectativas. Acontece que como ficção policial ele decepciona, o livro é lento, chato, demora séculos para acontecer alguma coisa. Isso me fez ficar alterando a nota de 2.5 para 3.0 até me decidir. Veja bem, o título diz “Prelúdio para a morte” onde definimos prelúdio como o início, o que ainda está por vir, o princípio, a introdução. Porém você chega a metade do livro e ainda estamos presos as divagações de Jane e sua lenta investigação em busca do manuscrito perdido.

Por outro lado, a autora arrebenta na parte histórica. Visto como um livro mais erudito, um épico ou romance histórico é fenomenal. Ela utiliza elementos verídicos e cria uma trama de suspense verossímil em meio a uma grande aula de história:

- Temos o lindo Lake District na região dos lagos ingleses, localizado ao norte da Inglaterra, próximo da fronteira com a Escócia. Saiba mais sobre a região.
- E William Wordsworth [7/04/1770 – 23/04/1850] que foi um grande poeta romântico inglês, ao lado de Samuel Taylor Coleridge, ajudou a lançar o romantismo na literatura inglesa com a publicação conjunta, em 1798, das Lyrical Ballads (Baladas Líricas).  A obra mais importante do autor foi o Prelúdio, imagino que foi onde inspiraram o título brasileiro, já que o título original é The grave tatoo. Mais sobre  poeta.
- Remetendo ao título original, temos a história das tatuagens encontradas no corpo não identificado. No século XVIII a tatuagem se tornou bastante popular entre os marinheiros, normalmente tatuagens pretas.
-  E o mais importante, o grande Motim do Bounty. A história completa do motim é enorme, mas o assunto inspirou vários filmes e livros. No Brasil a história foi contada no livro da Caroline Alexander em O Motim de Bounty: A história trágica de um confronto em Alto Mar (Skoob).

Esta capa faz sentido!
Ou seja, de um lado temos a parte romanceada, a pesquisa de Jane, seus problemas com o irmão babaca, o ex-namorado idiota e as dificuldades de sua busca. Temos Tenille, que como personagem secundária trás um pano de fundo bem interessante e acaba tendo seu destino interligado ao de Jane. De outro lado temos um enredo rico e extremamente inteligente.

Voltando apenas ao lado ficção da história, não me apeguei aos personagens, gostei muito de Tenille e torci por ela, mas Jane é um pouco sem sal. Não existe também um romance em paralelo, o fofo é realmente a busca pelo manuscrito e as tradições familiares locais. Gostei muito dos pais da moça, e de outros personagens secundários.

Então é aquele livro que será perfeito para alguns leitores, e um porre para outros. Depende muito do seu estilo, do que você procura e da sua expectativa. Agora depois de ler a resenha vocês já saberão o que esperar rs. Como estava esperando encontrar um policial sangrento (alooouu olhem a capa, a capa original faz muito mais sentido), me decepcionei bastante nesse sentido, mas não posso negar a capacidade criativa e a grande escritora que é Val McDermid.

É um livro que eu indico para determinado público, os amantes de livros históricos irão amar, quem é fã de thriller policial pode não gostar tanto.

Avaliação (1 a 5):

Comente, preencha o formulário e concorra ao Kit top comentarista de setembro!

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO