target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Onde deixarei meu coração - Sarra Manning

>>  sexta-feira, 14 de novembro de 2014

MANNING, Sarra. Onde deixarei meu coração. Rio de Janeiro: Editora Galera Record, 2014. 334p. Título original: Nobody’s girl.

“- Você não precisa ser nenhuma outra pessoa. Pode ser só você. – Ele esticou o braço para pegar a minha mão e passar os meus dedos pelo dele. – Não sei por que você se diminui tanto.

- Porque não sei se eu sou a Bea que você acha que eu sou ou a Bea que conheço, que é chata e sem graça e passa o tempo todo nesse mundo de sonhos idiota porque não consegue descobrir como fazer com que sua vida de verdade corra como ela quer.”p.231

Eu curti muito a leitura de Os adoráveis da mesma autora e queria muito seus outros livros, quando vi este lançamento e a capa linda, meus olhos brilharam. Leitura YA rápida e divertida, livro fofo para as meninas, principalmente na pré-adolescência. Confiram o que eu achei de Onde deixarei meu coração da Sarra Manning.

Bea tem 17 anos, mas ao contrário de quase todas as meninas de sua idade leva uma vida monótona e sem graça. Ela é tímida, calada, não tem muitos amigos e está longe de pertencer a turma dos populares da escola. Para piorar sua mãe é muito controladora e não deixa Bea fazer nada, como se usar uma saia fosse fazê-la ser violentada no meio da rua. A neura da mãe é baseada na sua própria experiência, ela ficou grávida na adolescência, Bea nunca conheceu o pai, só sabe que ele é francês. Cresceu morando com a mãe e os avós, mas agora vive com a mãe, o padrasto e seus irmãos gêmeos. Tem também duas avós fofas que vivem metendo o bedelho em sua vida.

Ela tem paixões imaginárias, mas nunca ficou perto o bastante de um garoto para se apaixonar. Sonha como um primeiro beijo perfeito, e não quer desperdiçá-lo com qualquer garoto idiota. Está acostumada a ser ignorada pelas populares da escola, e quando Ruby a líder dessa turma, se aproxima com suas amigas bajuladoras, fica com um pé atrás. Já espera a pegadinha, o trote com a garota boboca e sem graça.

Para sua surpresa isso não acontece, e quando Bea assusta, está deixando Londres para trás e indo passar as férias com as novas amigas em Málaga. Ela pode ficar um pouco longe da mãe e se divertir, mesmo Ruby sendo tão cruel e controladora às vezes. Claro que muita coisa acaba dando errado e Bea se vê sozinha em um país desconhecido. Sem saber o que fazer, decide visitar Paris e encontrar o pai que nunca conheceu. O que ela não sabia é que aquela viagem iria mudar sua vida para sempre.

~~~~~~~~

Livro fofo! A história é rápida, leve e muito divertida. Tem um ar de romantismo juvenil que arranca suspiros e ao mesmo tempo nos brinda com um olhar sob algumas cidades da Europa, ah Paris, a encantadora Paris. Por falar em Paris, o livro me lembrou mais de Anna e o beijo francês do que de Os adoráveis. A única semelhança é a escrita interessante da autora, as protagonistas e a abordagem são completamente diferentes nos dois livros.

Enquanto a Jeane era doidinha e atrevida, Bea parece uma santa. Na verdade a inocência da menina chega a irritar, é justificada pela criação controladora da mãe, mas dá vontade de sacudi-la em alguns momentos. Ruby, é claro, é a menina má, metida e cruel, multiplique isso ao cubo, a garota é insuportável. Ela samba com a pobre coitadinha da Bea e a menina demora dois séculos inteiros para reagir. Quando eu já estava quase tacando na parece... ela acorda pra vida e a história muda totalmente.

Eu teria amado, se não fosse exatamente essa inocência toda. Bea não sabia nada da vida, nunca tinha saído em um sábado a noite, nunca tinha tido um encontro ou ido a uma simples festa. A mãe não deixa nem a menina sair com as amigas, mas de repente uma mãe pseudo-famosa a convence de deixar a filha ficar duas semanas sozinha em Málaga. Já não comprei muito isso, e depois quando a menina tolinha consegue se virar sozinha em n situações extremas, duvidei mais ainda. Só lendo para saber, mas foi um ponto que achei meio “fala sério”. Tirando isso e a Bea fazer muito drama e chorar de desidratar (morro de preguiça de gente chorona), eu curti muito rs.

Voltando ao que eu amei. Toph!! O garoto entra lá para o meio na trama, então não quero contar muito sobre as circunstâncias, mas o personagem é muito fofo. Ele é gente boa, paciente, gatíssimo e tudo o mais.

O cenário é lindo, quem não gostaria de fazer uma viagem de auto descobrimento em Paris?! Bea vai passar por situações boas e ruins, irá amadurecer e descobrir muito sobre sua vida e sua relação com a mãe. A família dela toda é ótima, me diverti muito com sua avós.

Estou me repetindo já... É outro em que o epílogo merecia mais um epílogo rs, gostaria mesmo é que tivesse um livro sobre o Toph com alguns anos depois, seria perfeito.

Um romance encantador e uma leitura deliciosa, daqueles livros que você pega e lê inteirinho, ótimo para quem curte uma leitura bem leve de vez em quando. As meninas mais novas vão adorar, Natal chegando e uma dica perfeita de presente. ^^ Leiam!!

Avaliação (1 a 5):

Comente e concorra ao Kit Top comentarista de novembro, preencha o formulário!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO