target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Indo longe demais - Tina Seskis

>>  quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

SESKIS, Tina. Indo longe demais. Rio de Janeiro: Editora Record, 2014. 306p. Título original: One step too far.

“Distraidamente, olho para mim mesma e vejo uma estranha. Reparo que gosto do meu cabelo solto, me faz parecer mais jovem, e as ondas provocadas pela trança o deixam com aparência desgrenhada, boêmia até. Enquanto seco as mãos, sinto metal quente nos dedos e reparo que ainda estou de aliança. Nunca a tirei, desde o dia em que Ben a colocou no meu dedo, em um terraço com vista para o mar. Eu a tiro e hesito, sem saber o que fazer com ela; a aliança é de Emily, não é mais minha. Meu nome é Catherine agora. A aliança é requintada, os três pequenos diamantes brilham na platina, e isso me deixa triste. Ele não me ama mais. Então, eu a deixo ali, junto ao sabonete, no banheiro público ao lado da Plataforma 2, e pego o trem seguinte para Euston.” p.11

Adoro thrillers de suspense e, principalmente, depois de Garota exemplar, o gênero vem se destacando no Brasil. Sempre fico de olho nos lançamentos e este eu comecei a ler sem ter ideia do que esperar, não li nem a sinopse. Hoje conto para vocês o que achei de Indo longe demais da Tina Seskis.

Emily Coleman veio de uma família conturbada, sua irmã gêmea Caroline era uma pessoa difícil, disputava tudo com a irmã, principalmente o amor da mãe. Frances Brown esperava uma menininha, tinha tudo pronto para recebê-la, mesmo seu casamento sendo recente e seu marido, Andrew, não estando muito entusiasmado para virar pai. Mas no parto, uma surpresa, eram duas meninas, gêmeas idênticas. Eles ficaram surpresos, Frances odiou o outro bebê e o remorso a seguiu por boa parte da vida.

Emily cresceu amando uma irmã que a odiava, tentando fazer sempre o melhor. Já adulta, deixou para trás todas e dificuldades e inseguranças ao encontrar o amor de sua vida, Ben Coleman. Ela tinha um marido perfeito, tinha Charlie, mas em uma manhã, fugiu sem olhar para trás.

É impossível fugir do passado, por mais que se tente. Emily se reinventa, muda de nome, tenta construir uma nova vida. O que aconteceu naquela vida perfeita para fazê-la deixar tudo para trás? Queria fugir de tudo, do passado, do destino, da família e dos amigos. E recomeça do zero, mas vai descobrir que não é tão fácil assim desaparecer.

~~~~~~

Intrigante e misterioso. Os adjetivos resumem bem a trama da autora, eu me empolguei no início e passei o livro tentando descobrir o segredo, o que aconteceu com Emily para deixar tudo e fugir do marido e do filho pequeno? A protagonista é uma boa pessoa, era feliz, mas de repente, foge, apaga o passado.

Em Londres Emily, agora Catherine Brown, começa uma vida simples em uma casa deplorável ao lado da única nova amiga, Angel. Uma vida regrada a bebidas, drogas e uma sensação de desespero ao se aproximar do passado, se recusava até mesmo a pensar no que perdeu.

Sua irmã gêmea, Caroline, é sinistra! Adoro livros com gêmeos idênticos, mas ao contrário do normal, normalmente os gêmeos são unicos e têm uma ligação forte, aqui parecem se odiar. Eu passei o livro pensando no que a irmã dela tinha feito para culminar na fuga e todo o resto. Será que ela tinha culpa nisso?

O mistério todo me lembrou um pouco de No escuro, mas este não conseguiu atingir minhas expectativas. Até a metade estava tudo ótimo, mas eu não curti muito os desdobramentos. Primeiro, e isso é pessoal, odeio protagonistas bêbadas e que usam drogas, me irrita ao extremo. Segundo porque a forma como ela é encontrada foi tão estranha, me pareceu forçado. E, principalmente, porque quando descobri exatamente o motivo da fuga, foi tão diferente do que eu esperava. Não foi ruim, até me fez entender um pouco as atitudes da Emily, mas foi tão estranho... Sei lá, me fez gostar menos do livro, nem sei explicar o porquê. Um pouco pela personagem nem precisar fugir na verdade, achei a atitude bem covarde, apesar de entender seu desespero.

A autora alterna a narrativa em primeira pessoa da Emily, com terceira pessoa de quase todos os outros personagens. Algumas passagens foram desnecessárias, contando o passado de protagonistas secundários como a Angel, meio dispensável para o decorrer da história. E no ápice do livro, ela deixa Caroline totalmente de lado, foi uma pena não desenvolver melhor a personagem e se preocupar apenas com o “final” da Emily.

Não foi uma leitura ruim, o livro é interessante, mas para fãs de thrillers eu esperava mais. Deixou um pouco a desejar para mim, mesmo assim acho que muita gente irá curtir, principalmente quem não tem experiência com o gênero. Leiam!


Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO