target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

A heroína da alvorada - Alwyn Hamilton

>>  segunda-feira, 21 de maio de 2018

HAMILTON, Alwyn. A heroína da alvorada. São Paulo: Editora Seguinte, 2018. 384p. (A rebelde do deserto, v.3). Título original: Hero at the fall.

“Sam entendeu.
Ela havia morrido para que outros pudessem viver. Para que pudéssemos salvá-los. Para que outras garotas não morressem enquanto estivéssemos fora da cidade. Talvez até tivesse entrado ali sabendo que uma de nós morreria e decidira que seria ela. Para que pudéssemos viver. Escapar.
Ela havia morrido para que pudéssemos fugir. Então fugimos.” p. 105

A trilogia A rebelde no deserto chega ao final com seu terceiro volume, A heroína na alvorada da Alwyn Hamilton. Uma fantasia jovem adulto que mistura elementos de fantasia com um deserto em guerra sobre o julgo de um sultão. Soldados, humanos com dons, juntos em busca da paz. Depois de gênero ter se estafado com inúmeros assuntos, a autora consegue surpreender e deixar fãs alucinados pelo próximo volume. Confira o que achei do final ^^

Em A rebelde do deserto somos apresentadas ao cenário árido do deserto de Miraji, um lugar impiedoso e cruel. As pessoas lutam todos os dias para sobreviver. As mulheres não têm nenhum direito, servem aos seus parentes e depois ao seu marido. Os órfãos e os pobres tentam sobreviver. O sultão é o governante local, e ao lado de soldados aliados, mantêm seus súditos na rédea curta. O local é dominado pelos humanos, mas os seres fantásticos ainda praticam magia. Os djinnis se escondem, eles têm poder, e por isso são temidos. Os rebeldes agem em nome do príncipe herdeiro, que foi impedido de subir ao trono, mesmo ganhando os jogos que lhe concedia esse direito. A rebelião cresce, eles querem libertar o deserto da ditadura do sultão e do poder dos estrangeiros. Conhecemos nossa protagonista Amani, uma moça simples com uma mira perfeita. E Jin, um forasteiro que revela ser mais do que parecia.  A traidora do trono continua a aventura, agora com os rebeldes aliados, fazendo o possível para vencer o sultão e seu numeroso exército.

A partir daqui contém spoilers se você não leu os livros anteriores.

Amani Al’Hiza se torna a líder da rebelião, ou do que restou dela. Ela não queria nada disso, e não tem ideia do que fazer a seguir. Jin está ao seu lado, mas os dois continuam discordando de muita coisa, e ele têm muito com o que se preocupar.  O sultão matou um djinni e usou sua energia para dar vida a seres de metal, dizimando o acampamento rebelde. Muitos morreram, muitos foram capturados. O príncipe Ahmed sobreviveu, mas está entre os prisioneiros do sultão. Com ele também estão Shazad e Rahim. E ninguém sabe que ele está vivo, para todos a revolução morreu, restando apenas alguns poucos rebeldes, prestes a serem esmagados pelo poder do sultão.

A única saída para Amani é tentar resgatar os companheiros aprisionados, antes que seja tarde demais. Mas não vai ser nada fácil. Ela não sabe onde procurar. Uma barreira de fogo cerca a cidade, todos eles estão presos lá dentro. Eles precisam sair, precisam localizar uma prisão em uma cidade que só existe nas lendas do deserto. Precisam de aliados e de muita sorte. Toda a esperteza de Amani está voltada para isso.

Ela sabe que vai perder muitos no caminho, dos poucos que ainda restaram. Ela teme por sua própria vida, teme por Jim e principalmente pelo príncipe. Sem ele, tudo o que fizeram, todos os que perderam, foi em vão. Eles buscam, eles lutam, eles estão dispostos a dar a vida por uma nova alvorada, por um novo deserto.

“- Ele beijou a curva do meu pescoço. – E agora estou planejando que você sobreviva também. Não precisamos fazer nada hoje à noite. Esta não é nossa última noite. Teremos amanhã, depois de amanhã, e mil noites depois. Por enquanto, pode ser suficiente que eu seja seu. – Ele me beijou gentilmente. – Tudo o que sou, entrego a você, e tudo o que tenho é seu. Porque o dia da nossa morte não será amanhã.” p.316

~~~~~~~~

Eu surtei com esse livro!! Estou apaixonada pela história e com inveja dos leitores que ainda não começaram, e vão poder ter o prazer de ler a história toda em sequencia. Há muito tempo eu não lia uma fantasia jovem tão emocionante, tão bem escrita e que me deixasse empolgada em TODOS os livros. É difícil manter o ritmo, é difícil resistir a vontade de esticar a série para manter os leitores cativos. E a autora conseguiu tudo isso. Escreveu uma trilogia que têm todos os elementos de sucesso: aventura do início ao fim, bons personagens, uma protagonista forte, um romance que não ofusca o enredo e um final emocionante. Com direito a epílogo e sem decepcionar os fãs no final (uma lição para tantos outros autores! Ainda inconformada com o final de Divergente e de Maze Runner rs).

Eu chorei litros! Primeiro com uma morte que ainda acho prematura e desnecessária. Depois com o “final” que quase me fez enfartar. Fiquei com medo de a autora ter estragado tudo nesse momento, mas ainda bem que eu estava enganada! Apesar da pouca idade dos personagens, como já disse antes, esse é um enredo adulto e com personagens muito maduros. Não tem mimimi, não tem conversa atravessada, é tudo muito bom.

Claro que o final teve seu lado novelesco. Teve muito drama, teve cenas exageradas e magias “da loucura” kk. Mas eu curti cada linha. Amani ganha a frente da rebelião e tudo gira ao seu redor. Tem aquela coisa da protagonista que salva o dia, que só ela consegue resolver (bem HP sabem?), mas eu pessoalmente não me importo, adorei tudo.

Acho interessante como o romance é importante na história, mas não chega a ofuscar o enredo, pelo contrário. Os dois têm consciência que estão em uma guerra e que podem ou não sobreviver no final. Jim é um herói meio apagado, apesar de ser bem gato e os dois terem muita química. Falta nele a atitude heroica que sobra em Amani. Mas acredito ter sido essa a intenção da autora, dar destaque aos personagens femininos. Outra personagem feminina que arrasa é Shazad! Queria um livro só dela. Falando nisso quero muitos outros livros da Alwyn por aqui, fiquei fã.

Aos fãs de fantasia, eu mais que indico a trilogia! Para quem nem curte tanto, eu indico também! Essa é bem diferente e pode te surpreender. Quem leu me conte o que achou. Leiam!!

Adicione ao seu Skoob!

Série A rebelde do deserto da Alwyn Hamilton:
  1. A rebelde do deserto (Rebel of the sands)
  2. A traidora do trono (Traitor to the throne)
  3. A heroína da alvorada (Hero at de fall)
Avaliação (1 a 5):

Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top Comentarista de maio!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO