target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

O garoto da casa ao lado - Meg Cabot

>>  terça-feira, 26 de fevereiro de 2013


CABOT, Meg. O garoto da casa ao lado. 11 ed. Rio de Janeiro: Editora Galera Record, 2011. 394p. (Trilogia Garotos, V.1). Título original: The boy next door.

“Porque a doença básica de que estou sofrendo é que sou uma mulher de 27 anos, moradora da cidade de Nova York, e não consigo encontrar um cara que preste. Ó um cara que não me engane, não more com a mãe e não leia a seção de Artes do Chronicle antes de qualquer outra coisa na manhã de domingo, se é que me entende. Será que é pedir demais???
Veja se seu programa de Assistência aos Funcionários é capaz disso.” p.23


Este é o segundo livro do Desafio realmente desafiante do blog Silêncio que eu to lendo. Item 9 cumprido: Ler um livro cujo título tenha mais de 5 palavras.

Apesar de o título dar a impressão de ser um YA, este é um romance adulto. Primeiro livro da trilogia Garotos que tem protagonistas diferentes, mas uma coisa em comum: todos os livros são narrados de uma forma bem diferente. O primeiro livro é todo narrado de forma epistolar, uma troca de e-mails entre vários personagens. É assim que vamos conhecendo aos poucos a historia, e eu adorei O garoto da casa ao lado da Meg Cabot.

Melissa Fuller, tem 27 anos, é solteira, mora em Nova York e escreve a coluna de fofocas do New York Journal. A moça adora saber tudo sobre a vida das celebridades, veio do interior e tem um sério problema de pontualidade no trabalho. Mas ela jura que desta vez não teve culpa nenhuma. E não teve mesmo.

Acontece que Melissa acabou socorrendo a vizinha, uma senhora de 80 anos, que foi encontrada quase morta em seu apartamento depois de ter sofrido uma grave agressão. Agora a senhora Helen Friedlander está em coma, e Mel precisa cuidar de seus dois gatos e passear com seu enorme cão dinamarquês.

Sua amiga Nadine precisa de sua dama de hora para vários compromissos, e não acredita que Mel fica correndo de um lado do outro para passear quatro vezes por dia com um cão. E é ai que a rede de fofocas online do jornal entra no meio e acabam por localizar o sobrinho e único parente vivo da pobre senhora.

Max Fredlander é um fotógrafo famoso que adora fotografar desfiles e celebridades e não parece nada interessado na saúde da tia.... muito menos nos animais de estimação dela.

E é então que o misterioso sobrinho da vizinha se muda para o apartamento ao lado para cuidar dos bichinhos, mas ele pode não ser exatamente quem diz ser.

~~~~~~

Tenho que me segurar para contar só isso na resenha, porque o livro é tãoooo legal e divertido que dá vontade de contar a historia toda. E para quem gosta de saber detalhes e não liga para spoilers, a orelha do livro conta muito mais sobre Mel e o misterioso sobrinho, mas optei por contar apenas as informações da sinopse. 

O livro, como falei antes, é todo narrado somente através de e-mails. Da Mel com sua melhor amiga Nadine, com seu chefe George. De Max para Mel, de uma modelo sem noção chamada Vivica. De John com sua família... e por aí vai. Eu achei muito interessante, a leitura é rápida e a curiosidade prende o leitor. A narrativa da Meg é sempre muito leve e divertida, então gargalhei alto de alguns e-mails.

Uma coisa só que não gostei, quando você acompanha uma historia toda através somente de e-mails você perde um pouco de emoção, e as cenas ficam meio descontinuadas. O final mesmo ficou meio sem graça, eu queria uma narrativa nos mínimos detalhes e não aquela sensação de me contarem depois como foi tudo. Foi o único motivo de eu não amar de paixão.

A capa e o título dão uma falsa impressão de literatura YA, mas não se enganem. Os personagens são adultos e agem como tal. Gostei de Mel, a típica moça boazinha e bem intencionada do interior, mas ela não é boba e não fica choramingando seus problemas pelos cantos. O mocinho também é tudo de bom, fofo e sem jeito hehe.

O livro é basicamente um monte de fofoca, então acho que este fator pode não agradar todo mundo. O pessoal todo do escritório dá palpite na vida da Mel, a família toda do mocinho se mete onde não deve e é uma confusão só - o que para mim foi totalmente divertido. O livro é bastante previsível, mas como chick-lit não deixa nada a desejar.

Embora sejam de estilos bem diferentes, eu já falei aqui de dois livros também escritos apenas através de cartas ou e-mails: @mor e Onde terminam os arco-íris, inclusive este é meu livro preferido da Cecelia Ahern.

Para: Stacy Trent
De: John Trent
Assunto: Dá licença, mas

será o filho do capeta esse negócio que está na sua barriga ou o meu sobrinho? O que é que há com você? “Ela vai abrir as pernas, você vai ver.”
Ninguém abre as pernas só porque agente traz sorvete para ela... p.196
-------
Para: John Trent
De: Jason Trent
Assunto: Agora você passou das medidas

Minha mulher é que te incitou a fazer isso, não foi? Você está aceitando conselhos da minha mulher. Uma mulher que, creio que deve saber, comeu um cobbler de cereja inteiro – doze fatias – na noite passada. E grunhiu para mim quando tentei tirar-lhe a espátula da mão. P.232

Se você gosta do gênero eu super indico, não acredito que não li esta série antes. É uma ótima leitura para descontrair, leitura com boas risadas garantidas. Leiam!

E para quem gostar, resenhei o livro também em vídeo aqui:


Trilogia Garotos da Meg Cabot
  1. O garoto da casa ao lado (The boy next door)
  2. Garoto encontra garota (Boy meets girl)
  3. Todo garoto tem (Every boy’s got one)
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO