target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Dexter: Design de um assassino - Jeff Lindsay

>>  quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

LINDSAY, Jeff. Dexterdesign de um assassino. São Paulo: Planeta, 2011. 268p. (Dexter, v.4). Título original: Dexter by design.

"Ei, mamãe, quem é aquele belo gigante com a serra elétrica nas mãos? Ah, é o Dexter Morgan, querido, o homem terrível que foi preso um tempo atrás. Mas, mamãe, porque ele está sorrindo? Ele gosta do trabalho dele, querido. Que isso sirva de lição para você, encontre sempre um trabalho digno que o faça feliz.”
p. 190

A citação acima é um bom exemplo dos pensamentos hilários que passam pela cabeça do famoso Dexter Morgan, o serial killer que só mata quem merece e segue limpando as ruas de Miami. Acho que Dexter dispensa apresentação, quase todo mundo conhece o personagem da série de TV homônima, já encerrada. Como eu já assisti tudo, acabo não tendo tanta curiosidade em ler os livros (apesar que sempre me surpreendo com as diferenças), espero conseguir termina-la, o sarcasmo do personagem sempre me conquista. Confira o que achei do quarto volume da série com Dexter: Design de um assassino  do Jeff Lindsay.

Dexter Morgan vive o disfarce de um cara normal muito bem, esconde de todos aquilo que chama de seu Passageiro das Trevas. E tudo faz parte desse disfarce. Seu trabalho como analista de sangue da polícia de Miami, seu relacionamento com Rita e até suas brincadeiras com os dois filhos dela, Astor Cody. Sua irmã Deborah agora conhece um pouco de sua natureza, e tenta entender e respeitar, afinal, foi o pai dos dois, Harry, que o treinou. Ele caça os monstros que a polícia deixa escapar.

A partir daqui pode conter spoilers se você não leu os volumes anteriores da série.

Dexter Morgan agora é um homem casado. E depois de uma gloriosa tediosa lua de mel em Paris, ele está de volta a vida normal. A esposa, Rita, é um mal necessário. Mas apesar de todo o drama que rodeia as mulheres, ele aprecia a boa comida que ela faz e o fato dela cuidar muito bem dele. A melhor parte do casamento, são seus novos filhos, Astor e Cody. Os dois já sabem sobre Dexter e estão muito ansiosos para seguir pelo mesmo caminho. Cody tem seu próprio “Passageiro das Trevas”, depois do passado traumático com o falecido pai. 

Ele tenta controlar seus instintos e demonstrar toda as expressões que se espera de um homem recém-casado. Esconder o tédio e o desprezo, estampar o sorriso paciente. Seu EU interior já está ansioso para voltar a matar, e a oportunidade surge com um caso que sua irmã Debra começa a investigar. Corpos são encontrados em pontos turísticos da cidade, grotescamente arrumados para o público. As vísceras foram retiradas, no lugar monta-se uma cena... imagine um turista descansando numa cadeira de praia, mas no lugar onde ficaria seu estômago e tudo o mais, vemos garrafas de cerveja e gelo, coisa linda. O cara ainda filma tudo e posta no Youtube. Claro, que isso desperta o interesse de Dexter, mas antes que ele possa agir, sua irmã é ferida, ficando entre a vida e a morte no CTI. Pela primeira vez, temos um imprudente Dexter, em busca de vingança.

~~~~~~~~

Quem não gosta do Dexter e de sua mente “peculiar”, nem chega ao quarto volume da série. Eu adoro o personagem, suas psicopatias, seu humor negro, seu sarcasmo e todos seus pensamentos malucos. Eu acho hilárias as maluquices que passam na cabeça de Dexter, e como todos os livros são narrados por ele em primeira pessoa, esse é ponto principal explorado pelo autor. Como pensa um assassino? O que se passa na cabeça de um serial killer sem sentimentos?

Dexter prova que muita coisa. E nos livros temos um Dexter muito mais “bonzinho” do que na série. É visível sua preocupação e cuidado com a irmã, seu carinho pelas crianças e até o que ele pensa ser uma tolerância forçada com Rita. Claro que ele diz que tudo isso é para cumprir seu papel e fingir se encaixar na sociedade sem chamar a atenção. Vi um comentário em uma resenha (adoro citar esses comentários por aqui rs), onde a pessoa falava que “não tolerava a pessoa matar outro ser humano e gostar disso”. Gente, ok, então não vá ler Dexter. Não vá esperar que ele chore depois de matar alguém. Não, ele pega assassinos, pedófilos, estupradores e esfaqueia, corta em pedacinhos, adora o sangue esguichando, e faz tudo isso com um prazer enorme hehe. E, sinceramente, vendo ele pegar assassinos que a polícia não conseguiu prender e que voltaram a matar, não fico com dó de ninguém não. :P

O núcleo dos personagens segue a mesma linha interessante. Rita, as crianças tão peculiares com seu instinto de mini Dexter, Debra e seu namorado Chutsky, o maluco do sargento Doakes (que agora está mais sinistro do que o normal), todos eles são muito legais. Fico curiosa para saber o que vem a seguir, principalmente porque esse livro em especial é muito diferente da série. Posso estar enganada, minha memória é inexistente, mas não lembro desses acontecimentos na TV. Alguém que assistiu lembra desse assassino? Mas acho que não tem, tanto o assassino que mostra os corpos grotescamente modificados, como os desdobramentos, como o que acontece com Debra e etc.

Agora a parte que não gostei tanto, o enredo policial. Os desdobramentos são malfeitos, muita coisa que poderia ter sido desenvolvida fica largada no meio da história e o final é bem surreal. Impossível Dexter fazer tudo aquilo sem ficar na mira da polícia. O assassino desse volume é um cara esperto, inteligente, que tinha Dexter na mão e amava a imprensa. Não faz sentido ele ter guardado a informação e só tentar se vingar de Dexter. Achei algumas coisas bem sem noção, nunca vi tanto policial lesado na vida. Acho que nesse sentido, a série de TV é mais bem estruturada.

Ah, tenho que salvar para a posteridade a frase final desse livro: “Você vai ter o QUÊ?” hahaha.

Eu amo pelo personagem, pela escrita divertida e pela mente sagaz de Dexter. Agora como ficção policial,  deixa a desejar. E, vocês, já leram? O que acham de Dexter e sua psicopatia? Deixe sua opinião. Eu adoro a série, apesar dos problemas, e recomendo. Leiam!

Adicione ao seu Skoob!

Série Dexter de Jeff Lindsay
  1. Dexter: A mão esquerda de Deus (Darkly Dreaming Dexter)
  2. Querido e Devotado Dexter (Derly devoted Dexter)
  3. Dexter no Escuro (Dexter in the dark)
  4. Dexter – designer de um assassino (Dexter by Design)
  5. Dexter é delicioso (Dexter is Delicious)
  6. Duplo Dexter (Double Dexter) 
  7. Dexter em cena (Dexter's final Cut)
  8. Dexter está morto (Dexter is dead)
Avaliação (1 a 5): 3.5

Comente, preencha o formulário e concorra ao Top comentarista de janeiro.

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO