target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

As sete irmãs - Lucinda Riley

>>  segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019


RILEY, Lucinda. As sete irmãs. São Paulo: Editora Arqueiro, 2016. 480p. (As sete irmãs, v.1). Título original: The seven sisters.

“Gustavo lhe soprou um beijo ao sair, e Bel ficou parada por alguns segundos, sabendo que seu caminho fora traçado. E, independentemente do que acontecesse, teria que viver com o peso daquela mentira até o dia de sua morte.” p.388

As sete irmãs é o primeiro volume da série homônima da irlandesa Lucinda Riley. O livro foi lançado pela primeira vez no Brasil em 2014 pela Editora Nova Conceito, mas eu acabei não tendo muito interesse em ler. Mas os inúmeros fãs, todos os elogios e com a Editora Arqueiro relançando a série, eu fiquei curiosa e resolvi conferir. Hoje conto para vocês o que achei da leitura.

Suíça, 2007
Pa Salt é um homem misterioso e muito rico. Ele adotou seis bebês ao redor do mundo, e criou suas filhas na isolada ilha da família, na Suíça. Elas nada sabem sobre suas origens, e quase nada sobre a vida ou os negócios de Pa Salt. Só sabem que ele foi sempre um ótimo pai, criou todas com muito amor e lhes deu tudo. Ele viajava muito a trabalho, sua vida e seu passado era um mistério.  Já adultas, quase todas as irmãs viviam sua vida longe da ilha. Quando o adorado pai morre de repente, todas voltam para casa.

Maia D’Aplièse, 33 anos, é a filha mais velha. Ela nunca foi como as irmãs, mais calma e centrada, escolheu uma profissão segura e continuou morando em casa. Maia é tradutora, e traduz romances em vários idiomas. Ela teve uma decepção amorosa no passado e guarda um grande segredo. Depois disso, decidiu nunca mais confiar em suas emoções, ou nos homens. A morte de Pa Salt, a tira seu porto seguro e trás uma grande revelação.

Ele deixou pistas sobre o passado de cada uma das seis irmãs: Maia, Ally, Estrela, Ceci, Tiggy e Electra. Todas elas retomam sua vida em alguns dias, Maia, permanece onde sempre esteve. Tentando fugir do passado e ao mesmo tempo descobrir suas origens, ela resolve descobrir quem  foram seus pais biológicos. Ela viaja então para o Brasil, e segue para o Rio de Janeiro, local onde foi adotada.

Apaixonada pela cidade e curiosa com seu passado, ela recebe a ajuda de Floriano Quintelas, um romancista brasileiro que ela conhecia apenas através de e-mails, pois havia traduzido seu romance para o francês.  Seguindo as pistas, ela encontra a antiga casa da família e aquela que poderia ser sua avó. Ela começa a descobrir uma história que remete ao passado, a história de sua bisavó, que viveu ali na época da construção do famoso Cristo Redentor.

Rio de Janeiro, 1927
Izabela Rosa Bonifácio, 17 anos, era uma jovem belíssima e cheia de sonhos. Filha única de Carla e Antônio, ela sabia o que seria dela assim que completou 18 anos... ser apresentada a sociedade e se casar com o rapaz que o pai escolhesse para ela. Ela queria mais. O pai, que enriqueceu com a produção de café, fazia de tudo para ser reconhecido na alta sociedade carioca, ele queria um casamento importante para a filha. O escolhido é Gustavo Aires Cabral, filho de uma família tradicional, embora falida. Antes que o casamento aconteça, ela consegue convencer os pais a passar um ano na Europa, viajando com a família da melhor amiga. O senhor Heitor da Silva Costa era o arquiteto responsável pela construção do Cristo Redentor e tinha planos de ficar algum tempo na Europa para escolher o escultor da estátua. Em Paris, Izabela experimenta a liberdade e se apaixona. Mas sabe que precisa voltar para casa, seus pais e seu noivo esperam por ela.

~~~~~~~

Pelo tamanho da descrição da história vocês perceberam como o enredo é amplo, a trama é realmente bem tecida e interessante. Tem um ar de suspense, tanto sobre a vida e o que aconteceu ao pai delas, quanto sobre a origem das meninas. A narrativa é boa, mas temos algumas partes bem lentas e achei tudo estereotipado demais, é um romance bem politicamente correto. A série tem fãs incondicionais, mas eu, falando apenas pelo primeiro volume, não caí de amores por ela.

E isso se deu principalmente pelos personagens. É tudo raso demais, perfeito demais. As irmãs de Maia são apenas citadas, elas aparecem brevemente e mal se falam depois disso. Achei a dinâmica bem estranha, principalmente, por todas terem sido criadas juntas em uma ilha e se dizerem uma família unida. Não existem conflitos, nem nada. Temos diálogos certinhos demais e um monte de personagens sem graça. Por ser o livro que introduz a série, eu esperava mais nesse quesito.

Maia principalmente. A protagonista é sem sal toda vida. Ela não fazia nem pensava nada de interessante. Passava seus dias no Rio nadando, comendo, tomando banho e se encontrando com Floriano. Foram páginas e páginas disso. E os dois juntos é bem bleh, romance morno toda vida. Floriano é mais interessante, mas o casal em si não teve nenhuma química. Até o grande drama do passado dela, quando revelado não me comoveu.  

A história do passado salva tudo. Apesar de Isabela ser bem imatura no início, sua história é romântica, trágica e muito comovente. Adorei acompanhar tudo sobre o passado, a vida da família, e o cenário político/cultural do Rio naquela época. Laurent Brouilly me conquistou aos poucos. Ao contrário de Bel, eu não caí tão fácil na lábia do francês rs. Pena que o final da história de Isabela é contado de forma corrida, narrada apenas por uma pessoa no futuro.

A ambientação foi muito boa! Eu amei os cenários, a descrição dos locais, o embasamento histórico, tudo isso foi perfeito. A ilha na Suíça, a Paris dos artistas, o Rio de Janeiro do passado e no presente.  

O livro se alterna entre passado e futuro, Isabela e Maia. Adorei as partes do passado, achei um porre a história de Maia. A parte que se passa no Rio é sem graça, tudo acontece fácil demais e sem grandes empecilhos.

O final foi bem corrido. E apesar de não amar, fiquei curiosa com o andamento da série, e pretendo ler o segundo livro – a história de Ally – para saber se melhora ou não.

Quem leu me conte o que achou! Indico para quem curte romances históricos. Leiam!

Adicione ao seu Skoob!

Série As sete irmãs da Lucinda Riley:
  1. As sete irmãs (The seven sisters) - Maia
  2. A irmã da tempestade (The storm sister) - Ally
  3. A irmã da sombra (The shadow sister)
  4. A irmã da pérola (The pearl sister)
  5. A irmã da Lua ( The moon sister)
  6. Untitled  - previsto para 2019 nos EUA.
Avaliação (1 a 5): 3.5

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO