target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Especiais - Scott Westerfeld

>>  quarta-feira, 18 de maio de 2011

WESTERFELD, Scott. Especias. Rio de Janeiro: Galera Record, 2011. 352p. (Feios, V.3). Título original: Specials.

“De repente, parecia que havia anos desde a última vez que vira Zane. Tally sentiu que as mudanças no próprio corpo – os ossos ultraleves, as tatuagens dinâmicas, as cicatrizes ao logo dos braços – indicavam o quanto ela havia mudado no tempo em que estiveram separados. Como eram diferentes agora.”

Em um mundo onde corpos e rostos perfeitos são tudo o que pode ser considerado belo, em que as pessoas vivem sob total controle do Estado e onde nem suas mentes estão livres de manipulação, Tally Youngblood está prestes a conhecer de perto a crueldade e o orgulho. E naquele mundo, tudo que ela considerava ser Perfeito, muda mais uma vez, porque agora só o que importa é ser Especial. De Scott Westerfeld, o terceiro volume da série Feios, com vocês Especiais.

Atenção! A partir deste ponto contém spoilers para quem não leu Feios e Perfeitos. Confira as resenhas anteriores AQUI.

As circunstâncias especiais eram tudo que Tally sempre temeu, desde sua época como uma assustada feia, até sua avoada vida de perfeita. Ela tinha pavor da crueldade que via nos olhos deles, do terror que eles faziam questão de impetrar e de sua aparência sinistra. Mas, o que parecia impossível aconteceu, e agora Tally era um deles.

Ela e Shay eram Especiais, mais do que isso, eram um grupo especial dentro das circunstâncias especiais, eles eram cortadores. Mais forte, mas rápida e instintivamente egoísta e cruel. Ela foi programada para ver os feios como insignificantes e os perfeitos como idiotas e estava muito feliz com sua nova condição.

Faltam apenas 2 coisas para completar seu objetivo, esperar que Zane melhorasse e pudesse se juntar a eles e ser especial, e encontrar e destruir de uma vez por todas David e a Nova Fumaça. Agora como especial ela conseguia se lembrar de seu passado e conseguia ver como tudo aquilo era errado e sem sentido.

Os especiais tinham memória, mas não pareciam ter sentimento. Pelo menos não por tudo que fosse diferente deles, eles eram o topo da cadeia, tudo abaixo era medíocre e pouco importante. Tudo se resumia agora a suas incríveis habilidades, como era veloz, forte, indestrutível e sagaz. E agora, talvez pela última vez, ela deverá escolher entre sua missão e seus sentimentos.

Vou começar do ponto principal, eu amo esta série desde o primeiro livro, é diferente, inteligente e prende a atenção do leitor até o final, que é sempre surpreendente. Depois disso nem sei muito porque, mas este foi o livro que menos gostei da série. Acho que talvez por causa da minha alta expectativa, ou talvez porque esperasse mais romance na trama, mas achei muita coisa repetitiva e com alguns acontecimentos que me deixaram arrasada (não posso contar rs).

O primeiro é o fato de agüentar Shay presente o livro todo e ainda sendo a “chefe” da turma dos cortadores, não gostei muito da personagem em Perfeitos e fiquei enjoada dela. Depois porque lembram em Perfeitos onde todo mundo se irritou com tanto “falso” e “borbulhante”? Yes! Viva! Não tem mais isso... mas, aff... humft, as palavras da vez são “sagaz” e “medíocre”. Era tanto “sagaz aquilo”, “ficar sagaz”, que me cansou.

Eu sempre gostei de Tally, adoro a força da personagem e a mudança que ela foi capaz de começar na sociedade, mas senti falta de uma participação maior de David e de Zane, ela está o livro todo focada neles, pensando neles ou fazendo algo por causa deles, mas os moços em si não tem o destaque que eu gostaria. 

Eu adorei o autor e quero ler os outros livros dele, acho muito interessante a critica social que ele consegue incluir nos livros, embora neste terceiro volume ele troque o mantra “poder da liberdade” para um “movimento ambientalista moderno”, o que me desagradou um pouco.

Findando-se as reclamações, o livro continua cheio de ação e prende atenção como sempre, o ritmo é mais lento que os livros anteriores até certo ponto, depois as coisas aceleram novamente. E pelo que vi nas avaliações do Skoob, o livro está agradando a maioria dos fãs da série.

Especiais foi um bom final para a trilogia, apesar de passar longe de ser o final que eu sonhava, tudo bem, ele me surpreendeu mais uma vez. Há um quarto livro, Extras, que é definido no mesmo mundo, mas não uma continuação direta da série. Mudam os protagonistas, embora nossos conhecidos apareçam por lá. 

Agora LEIAM, tirem suas próprias conclusões, e passem por aqui para contar o que acharam.


Série Feios de Scott Westerfeld
  1. Feios (Uglies)
  2. Perfeitos (Pretties)
  3. Especiais (Specials)
  4. Extras (Extras).
Interligado: Bogus to Bubbly: An Insider’s Guide to the World of Uglies

Site da série no Brasil: http://www.record.com.br/seriefeios
Site oficial do autor: http://scottwesterfeld.com/blog

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO