target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Cair das trevas - Cate Tiernan

>>  quarta-feira, 4 de setembro de 2013

TIERNAN, Cate. Cair das trevas. Rio de Janeiro: Editora Galera Record, 2013. 250p. (Amada imortal, v.2). Título original: Darkness Falls.

“Escapei de lá e deixei para trás animais presos e em pânico. Encolhi-me miseravelmente no chão do celeiro. Sou tão inútil. Um fracasso de pessoa. Não conseguia pensar em palavras ruins o bastante para me descrever. Essa, meus amigos, é apenas uma dentre centenas de historias similares; histórias em que saí por cima, feliz e com sorte e em boa condição física, deixando morte e destruição e vítimas para trás em meio à poeira.” p. 66

Eu não sou lá fã de imortais, sabem? A grande exceção para mim foi Livro de Joaquim e Livro de Leah, mas ambos têm o conteúdo adulto e são bem diferentes. De qualquer forma, muita gente falou bem e não resisti a Amada imortal, primeiro livro desta trilogia. O livro é mais adulto e é aborda a imortalidade de uma forma diferente. Hoje vou falar da continuação com Cair das trevas da Cate Tiernan.

No primeiro volume ficamos conhecendo Nastasya, nascida em 1551 e hoje com quase 460 anos de idade. Ela ficou órfã aos 10 anos quando toda sua família foi exterminada - apesar de imortais, eles podem ser mortos se tiverem a cabeça arrancada do corpo. Ela sobrevive e vive muitas vidas, com vários nomes diferentes. Mas ela não tem consciência do bem e do mal, não pesa suas ações, e passa incólume pela vida, entre festas e bebedeiras, sem aprender nada, acrescentar nada. Ao lado de Incy, seu melhor amigo, ela se acha invencível e plenamente realizada. Até que deixa de acreditar nisso e foge a procura de um novo começo.

A partir daqui contém spoilers se você não leu o livro anterior. Confira a resenha de Amada imortal.

Depois de fugir de seus amigos, Nastasya procura abrigo com River, no local conhecido como River’s Edge; um lar para imortais, uma espécie de retiro espiritual para que aprendam a fazer o bem e evoluir espiritualmente. Mas Nasty não consegue se adaptar ao local, a toda aquela vida natureba, aulas e tarefas horrendas – como acordar quase de madrugada e alimentar as galinhas.

E ela precisa aprender a ficar longe de Reyn, um Deus nórdico lindo e sexy, mas que é também o último membro do clã responsável por assassinar sua família. Ela tem uma atração explosiva por ele, mas odeia tudo que Reyn representa.  Ele busca o perdão, o amor. Ela busca apenas confiar mais, ser melhor.
“Que beijos febris, você pergunta? Bem, uns dez dias atrás tivemos derrames cerebrais repentinos e simultâneos e cedemos à inexplicável e esmagadora química que crescia entre nós desde minha chegada. Isso foi seguido de perto pela arrasadora descoberta de que a família dele tinha matado todo mundo na minha família, e que minha família tinha matado muitos da família dele. Essa era nossa herança compartilhada. E estávamos loucos um pelo outro. Divertido, não é? Quero dizer, quando ouço sobre a dificuldade de casais que são de religiões diferentes, ou em que um é vegano,  penso que só precisam de um pouco de perspectiva.” p.8
Ela estava melhorando, tinha planos para que o Ano Novo fosse mais fácil, mas de repente, tudo parece dar errado. Suas experiências mágicas terminam em desastre, tudo termina em confusão quando ela está por perto, e ela não consegue manter uma relação com seus novos amigos. Ela tenta ajudar, mas sempre acaba piorando tudo.

Nastasya acredita que não existe solução para ela, vem de uma linhagem de magia das trevas e acredita que as trevas estão dentro dela, cada vez mais forte. E sua nova tentativa de fuga, irá trazer perigos desconhecidos e sombrios.


~~~~~~

Eu gosto da narrativa da autora, em primeira pessoa e com alguns momentos onde a personagem se expressa como se estivesse realmente nos contando um caso. Nasty é sarcástica, e até divertida com todo seu pensamento negativo. 

A trilogia continua bem, neste segundo volume muita coisa acontece e conseguimos visualizar melhor a tal magick que Nasty começou a aprender. Ela tenta melhorar, mas suas atitudes negativas e sua incapacidade de se abrir irá lhe trazer desagradáveis surpresas. Este não é um livro onde temos uma protagonista legal e poderosa, na verdade quase todos os imortais tem um passado sombrio, fizeram muita coisa errada e foram muito egoístas, em alguns momentos tive dificuldade de me solidarizar com eles.

Uma das coisas que não gostei neste volume é que Nastasya é a única personagem que a autora desenvolveu, os outros são todos jogados na historia. No primeiro, que era um livro de descobertas da protagonista, isso não me incomodou, mas agora eu senti que faltava informação. O romance mesmo, Reyn não tem destaque algum no livro e eu não criei empatia pelo relacionamento dos dois. Ela sente uma atração grande por ele, ele é lindo, ponto. Nem conversar eles conversam, a maioria das cenas é dele olhando para ela em silêncio lindo e blablablá, e ela fugindo de fininho.

Inc ressurge com uma aura mais sombria, porém, não comprei tudo que acontece com o personagem. No primeiro livro ele usa magick das trevas para aleijar um taxista, que é que faz Nasty fugir dele. Dois meses se passam, ela longe da fazenda, e quando Inc reaparece ele está tipo o super mago das trevas. É como se o personagem desse um salto de Malfoy para Voldemort em dois meses hehe.  Não me convenceu.

Eu gosto da historia  de uma forma geral, mas o último livro terá que ser bem melhor para a série ganhar mais pontos comigo. Quem leu me conte se gostou! Leiam ^^

Trilogia Amada Imortal de Cate Tiernan
  1. Amada imortal (Immortal Beloved)
  2. Cair das trevas (Darkness falls)
  3. Inimigo sombrio (Eternally yours).
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO