target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

A herdeira - Kiera Cass

>>  sexta-feira, 19 de junho de 2015

CASS, Kiera. A herdeira. São Paulo: Editora Seguinte, 2015. 392p. (A seleção, v.4). Título original: The heir.

“- Não fale assim comigo Eadlyn. Tenho catorze anos, não quatro. Leio todos os jornais e presto atenção nas edições do Jornal Oficial. Falo mais línguas que você e aprendo tudo o que você precisa saber sem ser obrigado. Não aja como se fosse melhor que eu. Eu sou um príncipe.
Suspirei de novo.
- Sim, mas eu serei a rainha – corrigi enquanto dava um gole no café. Eu realmente não precisava daquilo tão cedo.
- E seu nome algum dia aparecerá em um livro de história. Um moleque de dez anos entediado vai decorá-lo para a prova e depois esquecer tudo a seu respeito. Você tem um emprego, como qualquer outra pessoa. Pare de agir como se ser rainha fizesse de você alguém melhor ou pior que os outros.” p.284

Quando li A escolha, achava que tinha em mãos o final da história do reino de Illéa e seus governantes. Mas a autora decidiu continuar e nos contar mais sobre esse mundo, principalmente pelos inúmeros pedidos dos fãs. Vinte anos depois, encontramos o reino de Illéa muito diferente. Confira o que achei de A herdeira, quarto volume da série A seleção da Kiera Cass.

Contém spoilers se você não eu os livros anteriores da série.

Vinte anos se passaram após o final do processo de seleção que mudou o reino de Illéa, quando o Príncipe Maxon escolheu América Singer como sua esposa. Eles aboliram as castas e por muitos anos o reino ficou em paz. Porém, o preconceito ainda impera, e as pessoas que pertenciam as castas inferiores, têm dificuldade para ter acesso as faculdades, arrumar um emprego melhor, ou mesmo ser aceito na família de um pretendente de melhor posição na sociedade. A impossibilidade de corrigir todos os problemas, deixa Maxon cada vez mais cansado e abatido.

O casal foi afortunado com quatro filhos, sendo os mais velhos os gêmeos Eadlyn e Ahren, 18 anos. Por sete minutos de diferença, Eadlyn se tornou a herdeira do reino, e todos os dias pensa como seria se fosse diferente. Os filhos mais novos são Kaden, 14 anos, e Osten, o caçula. No castelo também vivem o General Aspen, braço direito do rei, e sua esposa Lucy. E outra grande amiga da mãe, Marlee com seu marido e os dois filhos, Josie e Kile.

Criada para ser uma líder, Eadlyn é uma moça racional, forte e muito decidida. O plano é que naturalmente ela fosse aos poucos, assumindo o lugar do pai. Até que mais tarde fosse coroada como rainha. Porém, revoltas começam a eclodir por todo o reino, e enquanto o Rei não encontra uma solução definitiva para os problemas, precisa de uma distração.

A princesa é obrigada a aceitar a situação apesar de protestar muito, a realização de uma nova Seleção. Descrente, já imagina maneiras de eliminar rapidamente todos os concorrentes e continuar solteira. Mas quando 35 garotos chegam ao palácio, a situação muda de figura. E ela começa a perceber, que pode sim gostar de alguns daqueles rapazes.

~~~~~

Eu esperava tão mais... Como gostei muito da "trilogia", estava ansiosa para reencontrar os personagens, principalmente Maxon, America e Aspen. Os personagens antigos não aparecem tanto quanto eu gostaria, já que a história é toda centrada na figura da princesa. A nova seleção não deixa de ser interessante, é sempre divertido acompanhar a confusão dos encontros, as eliminações e conhecer os pretendentes da princesa. Os outros três filhos do casal não tem tanto destaque, o que foi uma pena, todos eles são melhores que a herdeira rs.

O problema do livro para mim, foi que não consegui gostar de Eadlyn; não consegui nem aprender a escrever esse nome hehe. A moça é insuportável! Mimada, metida a sabe tudo, muito senhora de si e só enxerga o próprio umbigo. É egoísta ao extremo, incapaz de imaginar o que sua criada poderia querer fazer da vida além de servi-la. Mesmo sendo contra as castas e apoiando a decisão dos pais, não consegue perceber a grande desigualdade social que ainda impera no reino. Como a princesinha chatinha é a protagonista narradora, foi difícil gostar.

Claro que ela começa a melhorar no decorrer da história e imagino que no próximo isso possa ser corrigido, mas haja paciência para aguentar até lá. Quem já leu me conte, vocês conseguiram gostar dela? Rsrs. Outra coisa que foi difícil de acreditar, que America, com toda sua personalidade, força e bondade, criasse alguém tão egocêntrica.

Os rapazes não se destacam tanto nesse volume. Alguns poucos são mais simpáticos e ganharam a minha simpatia. Achei divertidas as cenas com Julian e seu tradutor, goste de Kile e da história paralela do príncipe Ahren.

Enfim, para quem acompanhou os outros volumes, acho que vale a pena conhecer. Porém, me decepcionei bastante, não achei a leitura ruim, talvez por já gostar dos personagens antigos e do enredo em geral, mas esperava bem mais da história. Quem leu nos conte o que achou. ^^

Adicione ao seu Skoob!
Compre na Amazon por R$ 17,91.
Compre no Submarino por R$ 19,90.

Série A seleção de Kiera Cass
  1. A seleção (The selection)
  2. A elite (The elite)
  3. A escolha (The one). 
  4. A herdeira (The heir)
  5. A coroa (The crown)
Interligados:

O príncipe (conto interligado disponível para download no site da Editora).

- O guarda (conto interligado disponível para download no site da Editora).


- A rainha
- A favorita

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO