target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Mini Becky Bloom: Tal mãe, tal filha - Sophie Kinsella

>>  quarta-feira, 25 de novembro de 2015

KINSELLA, Sophie. Mini Becky Bloom: Tal mãe, tal filha. 2ª ed. Rio de Janeiro: Editora Record, 2011. 542p. (Becky Bloom, v.6). Título original: Mini Shopaholic.

“- Luke, eu já pensei bem sobre isso. Quero que a Minnie tenha um amigo para a vida toda e não cresça como filha única. Também quero que nossos filhos tenham idades próximas, e não muitos anos de diferença. E eu tenho 100 libras em cupons para a Baby World que eu nunca gastei! – acrescento, lembrando de repente. – Daqui a pouco vão perder a validade!
- Becky. – Luke revira os olhos. – Não vamos ter outro filho só porque temos cupons para a Baby World.
- Não é por isso que nós teríamos outro filho! – falo, indignada. – É só um motivo a mais.”

Becky Bloom é daquelas séries hilárias que você vai ser fã e amar, dar altas risadas, ou vai achar completamente sem noção, não tem muito meio termo. Eu amo, adoro a maluca da Becky, adoro todas as confusões e todas as compras! Outro saiu da minha fila graças ao Clube das chocólatras e conto para vocês o que achei de Mini Becky Bloom: Tal mãe, tal filha da Sophie Kinsella.

Os títulos da série já são meio que spoilers, então a resenha não tem spoilers rs. Mas, se não leu os livros anteriores, confira as resenhas AQUI.

Aos 29 anos não podemos dizer que Becky Bloom amadureceu, mas ela agora é a bem casada, “Rebecca Brandon”, e mãe. Sua filha de dois anos Minnie é muito precoce, principalmente no que diz respeito a uma certa coisinha, e seu marido ocupado Luke Brandon acredita que eles precisam dar um jeito na filha mimada.

Becky não pode nem ouvir essa palavra, a filha não é mimada! Ela é apenas muito decidida e sabe o que quer. Ela chama taxis aleatoriamente, faz birra e se agarra a tudo o que quer e sua palavra preferida é “meu”. Ela também adora lojas, Starbucks e Visa! Luke quer tomar alguma providencia, e para aumentar o desespero de Becky uma grave crise financeira deixa todos em contenção de gastos. Becky está proibida de comprar roupas até usar pelo menos três vezes tudo o que tem... uma missão, acreditem, quase impossível. Seu emprego também não vai nada bem, afinal ela é uma consultora de compras e suas clientes estão, bem, proibidas de gastar.

Mas ela não desanima, o aniversário de Luke está próximo, e nada melhor do que uma festa surpresa! Ela vai poder gastar, pouco, e não será para ela. Porém tudo precisa ser muito econômico e ninguém pode saber da festa. Claro que é de Becky que estamos falando. E quando ela assusta, tudo tomou uma proporção estratosférica.

~~~~~

Como sempre dei muitas risadas, Becky é ótima e é uma loucura atrás da outra acompanhar suas aventuras. Como eu disse no início, não é todo mundo que curte esse tipo de chick-lit. É uma série que fala de uma mulher maluquinha e compradora compulsiva... Então gente, não, ela não vai amadurecer. Nem teria graça se de repente a Becky ficasse toda certinha e madura rs. Ela faz muita cagada, mas é sempre com a melhor das intenções. Ao mesmo tempo que irrita - eu também me irrito-, você fica torcendo para que dê tudo certo, afinal, ela nunca faz nada por maldade.

Fiquei com medo de desgostar do livro por causa da filha mimada, Minnie. Eu não sou lá muito paciente com crianças rs, e costumo me irritar com crianças chatas em livros. Mas não aconteceu, ela realmente é mimada demais, mas as cenas são mais para hilárias do que irritantes. E como tem muita coisa acontecendo e o foco é na festa surpresa para o Luke, não tem tantas cenas com as artes da Minnie.

O Luke continua fofo, muito aéreo e ocupado, mas um amor com a família. Ele normalmente prefere nem saber o que a Becky está aprontando, mesmo percebendo que ela está armando das suas e escondendo coisas dele. Ri horrores dos pais dela, desesperado para que eles comprassem logo uma casa e se mudassem, e não era para menos, com a Becky usando a mesa de jantar para guardar maquiagem rsrs, dentre outras coisas.

Esse foi mais tranquilo, afinal estava tudo bem entre o casal. O livro anterior, O chá de bebê, tinha mais mistérios e por isso não achei esse tão bom quanto. Mesmo assim foi ótimo rever todo mundo, acompanhar a família de Becky, seus pais que eu adoro, a família de Suze e as confusões com Tom e Jess.

Eu adoro a série e indico para todo mundo que gosta deu m chick-lit bem despretensioso e completamente surreal.  Já fico com saudade e curiosa para ler a próxima aventura, a Sophie Kinsella tem um parafuso a menos, só pode, é cada coisa que acontece que eu não sei nem de onde ela tira rs. Leiam!

Adicione ao seu Skoob!

Série Becky Bloom de Sophie Kinsella
  1. Os delírios de consumo de Becky Bloom (Confessions of a Shopaholic)
  2. Becky Bloom: Delírios de consumo na 5ª avenida(Shopaholic Takes Manhattan)
  3. As listas de casamento de Becky Bloom (Shopaholic Ties the Knot)
  4. A irmã de Becky Bloom (Shopaholic and Sister)
  5. O chá de bebê de Becky Bloom (Shopaholic & Baby)
  6. Mini Becky Bloom: Tal mãe Tal filha (Mini Shopaholic)
  7. Becky Bloom em Hollywood (Shopaholic to the Stars)
  8. Becky Bloom ao resgate (Shopaholic to the Rescue).
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO